Paranóias

You will find everything here!

Posts Tagged ‘TED

Stacey Kramer: The best gift I ever survived

with one comment

Written by Nuno França

1 de Setembro de 2014 at 07:11

Love letters to strangers

with 5 comments

TEDx: Hackschooling makes me happy (Logan Laplante)

leave a comment »

Este miúdo é fantástico!!! Isto sim, é VIDA!!!

Logan Laplante is a 13 year-old boy who was taken out of the education system to be home schooled instead. Not only was he home schooled, but Logan had the ability to tailor his education to his interests and also his style of learning, something traditional education does not offer. As Logan has mentioned, when he grows up he wants to be happy and healthy. At a TEDx talk in 2013, he discussed how hacking his education is helping him achieve that goal.

TED Talk

leave a comment »

TED3

Young people today have lots of experience … interacting with new technologies, but a lot less so of creating [or] expressing themselves with new technologies. It’s almost as if they can read but not write.”

Mitch Resnick

Jovem criou teste de detecção de cancro no pâncreas

with one comment

Jack Andraka deixou de ser o típico adolescente despreocupado e é agora um jovem e promissor cientista por ter descoberto uma forma de baixo custo e eficaz na detecção do cancro do pâncreas.


Com a internet, qualquer coisa é possível“, explicou o norte-americano Jack Andraka, enquanto contava a sua história numa conferência sobre inovação TED, celebrada esta semana em Long Beach, no sul da Califórnia.
 
Há muito mais a fazer do que publicar fotos de nós mesmos com cara de pato“, comentou, durante a TED Talk, no prestigioso encontro sobre ciência e tecnologia.
 
Se um jovem de 15 anos que não sabia o que era o pâncreas descobriu uma forma de detectar um cancro no pâncreas, imaginem o que vocês podem fazer“, acrescentou.
 
Andraka, com 16 anos, contou como começou há três anos a navegar na internet à procura de informações sobre o cancro do pâncreas, depois de um amigo da família morrer vítima da doença. Andraka lembra-se de como ficou surpreendido ao saber que geralmente este tipo de cancro é detectado tarde demais e que o método utilizado para diagnosticá-lo tem 60 anos.
 
“É mais velho que o meu pai”, brincou.
 
“Sem desanimar e com o meu optimismo adolescente, consultei os dois melhores amigos de um adolescente: o Google e a Wikipédia“.
 
 Foi assim que descobriu que há milhares de proteínas que podem ser detectadas no sangue de pessoas com cancro no pâncreas e procurou uma que pudesse servir como indicador precoce da doença. “Por último, na tentativa 4.000, quando já estava a perder o juízo, encontrei a proteína”, recorda.
 
A descoberta aconteceu numa situação pouco provável: durante uma aula de biologia do ensino básico.
 
“Comecei a ler um artigo sobre os nano-tubos, que são estruturas tubulares com o diâmetro de um nanómetro, escondido debaixo da minha secretária, quando devia estar a prestar atenção à aula sobre anticorpos”, recorda.
 
De repente, percebi que podia combinar o que estava a ler com o que se supunha que devia estar a ouvir”, acrescentou. De acordo com este cientista adolescente, a receita para fazer sensores de papel que detectam a proteína – a mesotelina – no sangue é “quase tão simples como fazer biscoitos de chocolate”.
 
A técnica custa dois cêntimos, leva poucos minutos e aparentemente é 100% precisa, explicou o jovem na conferência.
 
Andraka contou ter enviado 200 pedidos para laboratórios científicos para poder dar continuidade ao seu trabalho. Todos recusaram, menos a Universidade Johns Hopkins, onde passou por um rigorosíssimo interrogatório antes de ser aceite.
 
Lá, conseguiu dar continuidade à sua pesquisa, que lhe valeu o grande prémio da feira internacional de ciência ISEF 2012 (Intel International Science and Engineering Fair), a maior competição internacional de ciência ao nível pré-universitário.
 
Andraka adianta que sua descoberta tem potencial para ser adaptada a outros tipos de cancro, bem como a doenças cardíacas e VIH/SIDA.