Paranóias

You will find everything here!

Posts Tagged ‘parabéns

Parabéns Campeão!

with 3 comments

Michael Schumacher faz hoje 50 anos… mas pouco ou nada se sabe dele nos últimos 5 anos.

1_FILE-Former-F1-Driver-Michael-Schumacher-Hurt-In-Skiing-Accident

Depois do grave acidente a 29 de Dezembro de 2013. O hepta-campeão mundial de Fórmula 1 estava a esquiar quando caiu e bateu com a cabeça. Esteve vários meses em coma, foi operado por duas vezes na Suíça e, ao fim de algum tempo, foi para sua mansão, que foi modificada para poder tratar o ex-piloto diariamente e longe dos holofotes mundiais.

Como disse, pouco se sabe, poucas pessoas contactam com a família, como Sebastian Vettel, Jean Todt, por exemplo… e o sigilo é quase que absoluto.

Para comemorar o aniversário e relembrar o homem e piloto, a família anunciou que o piloto “está em boas mãos”.

 

Parabéns, campeão!

 

Anúncios

Written by Nuno França - Photography

3 de Janeiro de 2019 at 08:00

José Mourinho: Parabéns!

with one comment

Parabéns ao homem, José Mourinho, que faz hoje 49 anos.

Parabéns pela magnífica carreira!

Parabéns pelo grande jogo que a sua equipa fez ontem frente ao Barcelona.

E, quer queiram, quer não, é o melhor treinador do mundo!

Vejam aqui a homenagem que o Real Madrid fez… e os números.

Palmarés de José Mourinho:

– 2 Liga dos Campeões (2003-04 com FC Porto e 2009-10 com o Inter)

– 1 Taça UEFA (2002-03)

– 2 Ligas Portuguesas (2002-03 e 2003-04)

– 2 Premier League (2004-05 e 2005-06)

– 2 Ligas italianas (2008-09 e 2009-2010)

– 1 Taça do Rei (2011)

– 1 Taça de Portugal (2002-03)

– 1 Taça inglesa (2006-07)

– 2 Carling Cup (2004-05 e 2006-07)

– 1 Taça de Itália (2009-10)

– 1 Supertaça de Portugal (2003)

– 1 Community Shield (2005)

– 1 Supertaça de Itália (2008)

Written by Nuno França - Photography

26 de Janeiro de 2012 at 14:25

Bob Dylan – Parabéns (70 anos)

leave a comment »

Um grande senhor faz hoje anos (Robert Allen Zimmerman – mais conhecido por Bob Dylan)… 70, para ser mais preciso.

E, é daqueles músicos, que só se pode afirmar uma coisa: Quanto mais velho, melhor!
Eu não conheço todos os álbuns dele (mas alguns… porque a lista é extensa), mas pelo que tenho ouvido (e pelo que vou ouvindo falar), um é sempre melhor do que o outro.

Para lerem um extenso artigo (mas muito interessante) sobre a vida dele, dêem uma vista de olhos aqui (How Stuff Works).

Mas aqui deixo algumas mais importantes.

Nascido em 1941, em Delluth, Minessota (EUA), Robert Allen Zimmerman aprendeu durante a adolescência a tocar violão e gaita. No final dos anos 50, quando estava na Universidade, adotou o nome de Bob Dylan em suas apresentações, provavelmente influenciado por sua admiração pelo poeta britânico Dylan Thomas (1914-1953).

 Com 19 anos de idade, Bob Dylan mudou-se para Nova Iorque, com a intenção de visitar seu ídolo, o cantor folk Woody Guthrie, que estava hospitalizado na cidade. Em apenas alguns meses por lá conseguiu um contrato com a Columbia Records, após receber uma crítica favorável do The New York Times por sua apresentação na abertura do show do bluesman John Lee Hooker. Dylan começou então a se tornar uma figura destacada no Greenwich Village, bairro nova-iorquino que concentrava os artistas e a vida boêmia da cidade, com seu humor cáustico e a profundidade de suas críticas sociais nas letras das canções.

(resto aqui)

Em 1966, Dylan sofre um grave acidente de motocicleta que o deixou afastado da cena musical até 1968. Às turnês, ele retornaria somente em 1974. Em 1975, ele lança “Blood on the Tracks”, álbum que é uma de suas obras primas, recheado de canções sobre o amor, paixões, desilusões e indiferenças. Nas décadas seguintes, ainda com a aura de um ícone dos anos 60 e rotulado como poeta, profeta, gênio, Bob Dylan manteve uma produção que o confirmou como um dos mais importantes artistas de todos os tempos. Em 1998, lançou “Time Out of Mind”, um de seus melhores álbuns, e em 2006 levou um disco de blues, “Modern Times”, ao primeiro lugar das paradas norte-americanas. Em mais de quatro décadas de carreira conquistou os mais importantes prêmios do mundo da música, sem deixar de ir do inferno ao céu e do céu ao inferno por diversas vezes.

(Se querem começar por álbuns mais recentes, “Modern Times” é um álbum BRUTAL!)

Algumas curiosidades:

David Bowie fez uma canção para Bob Dylan
Em 1971, David Bowie escreveu uma canção para Bob Dylan apropriadamente intitulada “Song for Bob Dylan”. Nela, o cantor falava sobre a influência de Dylan para a sua geração (“And you sat behind a million pair of eyes / And told them how they saw” – em tradução aproximada, “E você se sentou atrás de milhões de pares de olhos / E contou a eles o que eles viam”), lamentava os discos mais difíceis que ele havia lançado recentemente (“Then we lost your train of thought” – “Então nós perdemos a sua linha de pensamento”) e praticamente exigia que Dylan voltasse à antiga forma (“Give us back our unity / Give us back our family” – “Devolva-nos nossa unidade / Devolva-nos nossa família”).

(esta acima, é curiosa, até porque, se não sabem… Bob Dylan enriqueceu em parte, por “culpa” das suas letras usadas por muitos outros músicos)

Woody Allen definitivamente não é um fã
Não é segredo para ninguém que o cineasta Woody Allen não gosta de música pop. Por isso, não foi surpresa quando ele resolveu fazer piada a respeito de Bob Dylan num de seus melhores filmes, “Annie Hall” (no Brasil, o filme ganhou o esdrúxulo título de “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”). A certa altura da história, Allen conhece uma fã de Dylan que recita a letra de “Just Like a Woman” para ele. A cara que Allen faz quando ela tenta convencê-lo da profundidade de versos como “And she aches just like a woman / But she breaks just like a little girl” é uma prova clara que ele não está nem um pouco convencido do talento de Dylan.

Como é possível, oh senhor Woody?!


Bob Dylan tocou em Woodstock… em 1994
Apesar de ser um dos artistas mais importantes dos anos 1960, Bob Dylan não tocou no festival mais emblemático daquela década, Woodstock. Os motivos nunca ficaram claros: aparentemente, ele não quis participar do evento porque estava de viagem marcada para a Inglaterra. O curioso é que uma das lendas a respeito do festival diz que ele se chamou Woodstock porque essa era a cidade que Dylan morava na época – o evento na verdade aconteceu num município próximo, Bethel. Em 1994, quando um novo Woodstock foi realizado para festejar os 25 anos do evento original, Dylan marcou presença. Ele fez um elogiado show no último dia do festival.

Vovô Bob Dylan
O cantor tem nove netos e, segundo relatos, tem um adesivo colado em seu carro em que se lê: “melhor avô do mundo” (“world’s greatest grandpa”).

Abaixo, podem seguir o link para as 20 músicas mais importantes de Bob Dylan.

http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/musica/as+20+musicas+mais+importantes+de+bob+dylan/n1596972956600.html

E, como pesquiso no youtube e não encontro as minhas favoritas com originais… fica aqui um cover, mas de um grande senhor:

Artigos relacionados:

Bob Dylan is back

I’m Not There (se bem que já mudei parte da minha opinião acerca do filme – porque não sabia nada sobre a vida dele)

Curiosidades sobre Bob Dylan

Written by Nuno França - Photography

24 de Maio de 2011 at 21:19

Parabéns Mourinho

with one comment

Parabéns senhor José Mourinho!

A 26 de janeiro de 1963 nascia este fantástico treinador.

FC Porto

Chelsea FC

Fontes:

José Mourinho_ Info

Wikipedia

Written by Nuno França - Photography

26 de Janeiro de 2009 at 08:29

Henri Cartier-Bresson – 100 anos

with 2 comments

E cá está.. por pura surpresa, fiquei a saber que hoje que há 100 anos, nascia aquele que é considerado por muitos, o “mestre da fotografia”: Henri Cartier-Bresson

Aqui podem ver as minhas favoritas. (Clica)

Para mim, o melhor fotógrafo que já alguma vez vi. 😀

Nascido em França a 22 de Agosto de 1908, Henri Cartier-Bresson, o mestre do instante, interessou-se desde cedo pela pintura e pela fotografia. Em 1932 adoptou a Leica de 35 mm como máquina de eleição. Pequena e discreta, permitia-lhe fotografar de forma rápida e não-intrusiva, evitando a pose e captando o que ele mesmo designava como “o drama, o espírito ou a alegria do momento imediato, ou decisivo”.

Fotografou muitos acontecimentos e personalidades marcantes do século XX:  a libertação de Paris em 1945, a União Soviética da Guerra Fria, o funeral de Gandhi, os eunucos chineses após a Revolução Cultural, personalidades como Marilyn Monroe, o pintor Matisse ou Coco Chanel.  As suas fotografias de Portugal estão incluídas no livro Os Europeus (1955). Em 1952 publicou Images à la Sauvette, livro em que cunhou a expressão ‘momento decisivo’ como definidora da sua abordagem à fotografia.

Pioneiro do fotojornalismo, em 1947 fundou a cooperativa Magnum Photos, com Robert Capa, George Rodger e outros fotógrafos da época. Foi sempre avesso a deixar-se fotografar, para preservar o anonimato. A partir de final dos anos 60, dedicou-se ao desenho e à pintura em detrimento da fotografia. Morreu em 2004, dias antes de completar 96 anos.

Fonte:

SAPO Fotos

Written by Nuno França - Photography

22 de Agosto de 2008 at 12:59