Paranóias

… Um weblog dedicado a paranóias e não só …

Posts Tagged ‘josé afonso

Grândola, Vila Morena

with one comment

Para mim, só há uma Grândola, Vila Morena

 

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

Written by paranoiasnfm

18 de Fevereiro de 2013 at 10:01

Zeca Afonso

with one comment

25 anos após a sua morte, nunca é demais relembrar!

 

Aqui, um artigo interessante com alguns dos que partilharam o palco com este GRANDE senhor!

Written by paranoiasnfm

23 de Fevereiro de 2012 at 21:55

25 de Abril

leave a comment »

E como hoje é um dia “especial”… ficam aqui umas músicas interessantes.

Vale a pena relembrar!
Um HOMEM com “H” grande! Um músico exemplar. Uma pessoa com uma visão do futuro.

E um GRANDE obrigado à RTP, por duas coisas:

1- A série “Conta-me como foi”, que hoje acaba (infelizmente)… foram vários episódios FANTÁSTICOS para retratar o que foi o nosso país durante a ditadura. Não perdi um único episódio. Vai ficar a saudade… mas fico a ganhar com tudo isto: CONHECIMENTO… bastante. Aprendi mais com esta série do que propriamente na escola. (não é exagero… não escapavam pormenores)

2- E pelo documentário que teve a sua estreia ontem e tem mais 2 episódios, Maior que o Pensamento, sobre o GRANDE Zeca Afonso.

Artigos relacionados:

Genial! Zeca Afonso……. SEMPRE!

Coro dos Tribunais – Zeca Afonso

Cristina Branco – “Abril”

Venham mais cinco

Conta-me como foi

Genial! Zeca Afonso……. SEMPRE!

with 4 comments

Sempre actual!!! E uma capacidade genial de perceber o que viria pela frente!

Via Num Outro Lugar.

Written by paranoiasnfm

17 de Abril de 2011 at 15:06

Coro dos Tribunais – Zeca Afonso

with 3 comments

Adoro esta música!

E ando com ela na cabeça e a assobiá-la há dias…

Coro dos Tribunais

(Letra de B. Brecht/adap. José Afonso/ Versão de Luís Francisco Rebello/ Música de José Afonso)

Foram-se os bandos dos chacais

Chegou a vez dos tribunais

Vão reunir o bom e o mau ladrão

Para votar sobre um caixão

Quando o inocente se abateu

Inda o morto não morreu

Quando o inocente se abateu

Inda o morto não morreu

A decisão do tribunal

É como a sombra do punhal

Vamos matar o justo que ali jaz

Para quem julga tanto faz

Já que o punhal não mata bem

A lei matemos também

Já que o punhal não mata bem

A lei matemos também

Soa o clarim soa o tambor

O morto já não sente a dor

Quando o deserto nada tem a dar

Vêm as águias almoçar

O tribunal dá de comer

Venham assassinos ver

O tribunal dá de comer

Venham assassinos ver

Se o criminoso se escondeu

Nada de novo acoteceu

A recompensa ao punho que matou

Uma fortuna a quem roubou

Guarda o teu roubo guarda-o bem

Dentro de um papel a lei

Written by paranoiasnfm

30 de Abril de 2009 at 22:06

Na categoria Música

Tagged with , , , ,

José Mário Branco

with one comment

E porque adoro este poeta/cantor de Abril, aqui fica a letra (vinda de uma grande senhora, Natália Correia, da minha terra: São Miguel)  que adorei:

Música: José Mário Branco
Letra: Natália Correia

Dão-nos um lírio e um canivete
e uma alma para ir à escola
mais um letreiro que promete
raízes, hastes e corola

Dão-nos um mapa imaginário
que tem a forma de uma cidade
mais um relógio e um calendário
onde não vem a nossa idade

Dão-nos a honra de manequim
para dar corda à nossa ausência.
Dão-nos um prémio de ser assim
sem pecado e sem inocência

Dão-nos um barco e um chapéu
para tirarmos o retrato
Dão-nos bilhetes para o céu
levado à cena num teatro

Penteiam-nos os crâneos ermos
com as cabeleiras das avós
para jamais nos parecermos
connosco quando estamos sós

Dão-nos um bolo que é a história
da nossa historia sem enredo
e não nos soa na memória
outra palavra que o medo

Temos fantasmas tão educados
que adormecemos no seu ombro
somos vazios despovoados
de personagens de assombro

Dão-nos a capa do evangelho
e um pacote de tabaco
dão-nos um pente e um espelho
pra pentearmos um macaco

Dão-nos um cravo preso à cabeça
e uma cabeça presa à cintura
para que o corpo não pareça
a forma da alma que o procura

Dão-nos um esquife feito de ferro
com embutidos de diamante
para organizar já o enterro
do nosso corpo mais adiante

Dão-nos um nome e um jornal
um avião e um violino
mas não nos dão o animal
que espeta os cornos no destino

Dão-nos marujos de papelão
com carimbo no passaporte
por isso a nossa dimensão
não é a vida, nem é a morte

Brutal, fortíssima mesmo! :D

Curiosidade acerca deste GRANDE senhor:

Em 2006, com 64 anos, José Mário Branco iniciou uma licenciatura em Linguística, na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa. Acabou o 1º ano, com média de 19,1 valores, sendo considerado o melhor aluno do seu curso [1]. Prémios que lhe foram atribuidos, rejeitou, dizendo que é «algo normal numa carreira académica».

Written by paranoiasnfm

25 de Abril de 2009 at 22:41

Cristina Branco – “Abril”

with 2 comments

Acabei de chegar do concerto de Cristina Branco.

A poucos minutos do dia 25 de Abril de 2009, foram tocadas/cantadas músicas do GRANDE José Afonso.

Fiquei com pena de Grândola, Vila Morena não ter sido tocada.

Resumindo, gostei do concerto, sobretudo por ter ouvido algumas músicas que adoro.

Mas também digo… nada como o Zeca… (estou a ouvir-te agora, precisamente: Grândola, Vila Morena) :D

Bom dia 25! :D

Written by paranoiasnfm

25 de Abril de 2009 at 00:08

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 713 outros seguidores